Cão terapia cancelada :(

3, dezembro, 2016

FILHOTES PARA ADOÇÃO – FLORIPA/SC

2, dezembro, 2016

Filhotinhos da aldeia Praia de Fora 2, que estamos tentando encontrar novas famílias. As mamães foram castradas…. Finalmente!

Contato para adoção responsável: oba.floripa@gmail.com / 99636-3547 (whatsapp)

Pupo e Lindinha Idade: 3 meses Porte: médio Estão com uma dose de vacina e a castração é obrigatória.

Pupo e Lindinha. Idade: 3 meses. Porte: médio. Estão com uma dose de vacina e a castração é obrigatória.

 

Spike Júnior (a esquerda) Macho, 3 meses, porte médio Está com uma dose de vacina e a castração é obrigatória. Bingo (a direita). Macho, 2 meses, porte médio/grande Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória.

Spike Júnior (a esquerda). Macho, 3 meses, porte médio. Está com uma dose de vacina e a castração é obrigatória.
Bingo (a direita). Macho, 2 meses, porte médio/grande. Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória

 

m3

Da esquerda para a direita: Valente e Nica. Idade: 4 meses . Porte: médio/grande. Estão com duas doses de vacina e a castração é obrigatória. Gigi. Fêmea, 4 meses, porte médio/grande. Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória. Banzé Júnior. Macho, 4 meses, porte médio/grande. Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória.

 

Tigre Macho, 2 meses, porte médio/grande Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória.

Tigre
Macho, 2 meses, porte médio/grande
Está com duas doses de vacina e a castração é obrigatória.

VEJA TODAS AS FOTINHOS AQUI.

Ação em comunidades indígenas, Adote!, Mutirão Mata-fome

ATENÇÃO!

1, dezembro, 2016

0112

A partir do próximo sábado, até março, a Cão Terapia começa 1 hora mais tarde por causa do forte calor. Então o horário passa a ser das 15h30 às 18h30.

A turminha que aguarda adoção no canil e gatil municipal de Floripa pode contar com a sua presença neste sábado?

CÃO TERAPIA – todos os sábados sem chuva, no CCZ de Floripa (SC-401, ao lado do cemitério do Itacorubi e próximo ao SOS Cárdio)

Fotos: Chaiane Gobbi Fotografia

Cão Terapia

AJUDE-NOS A CONTINUAR

30, novembro, 2016

Mais um mês que termina nos deixando com uma dívida alta na clínica veterinária parceira. As prestações de socorro não podem parar por falta de recursos.

Você pode ajudar? Sua doação, por menor que seja, será recebida com gratidão.

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

3011

Sem categoria , ,

AÇÃO NAS ALDEIAS MORRO DOS CAVALOS E MACIAMBU – 28/11/2016

28, novembro, 2016

Mais uma semana inicia com mangas arregaçadas e muito trabalho nas comunidades indígenas amparadas. Mas antes de partir em direção às aldeias Morro dos Cavalos e Maciambu para a missão semanal de alimentar e tratar os animais, o dia começou com uma despedida… a bebezinha resgatada ontem nos deixou na madrugada. Seu corpinho foi enterrado com todo o respeito no quintal de um casal de protetores, debaixo de árvores frutíferas e com a reverência dos cães que vivem nesta casa.

Recepção para a cadelinha da aldeia Morro dos Cavalos que retornou para casa castrada. Tium foi recebida com muita alegria por humanos e patudos.

Recepção para a cadelinha da aldeia Morro dos Cavalos que retornou para casa castrada. Tium foi recebida com muita alegria por humanos e patudos.

Muitos animais nos aguardavam nas aldeias de Palhoça, então é preciso encontrar forças para continuar.

Como ela ficou conosco por 5 dias, entregamos a medicação para que seus tutores continuem com os cuidados no pós operatório. Faltou cachorro para tantos abraços. <3

Como ela ficou conosco por 5 dias, entregamos a medicação para que seus tutores continuem com os cuidados no pós operatório. Faltou cachorro para tantos abraços. <3

 

Branco é tão bonzinho que deixou os meninos brincarem de carrinho nele hehehe. É muito próxima e verdadeira a relação das crianças com seus amigos patudos.

Branco é tão bonzinho que deixou os meninos brincarem de carrinho nele hehehe. É muito próxima e verdadeira a relação das crianças com seus amigos patudos. Cuidando da saúde dos animais, contribuímos com a saúde de toda a comunidade.

 

Dividindo a comida civilizadamente. Estes filhotões já receberam a terceira dose de vacina.

Dividindo a comida civilizadamente. Estes filhotões já receberam a terceira dose de vacina.

 

Atenção especial a este filhotinho, encontrado muito magrinho e com problemas de pele. Colabore com este projeto doando um pacotinho de ração, que mata a fome desses anjinhos carentes.

Atenção especial a este filhotinho, encontrado muito magrinho e com problemas de pele. Colabore com este projeto doando um pacotinho de ração, que mata a fome desses anjinhos carentes.

 

Bella sendo medicada sob o olhar atento das suas tutoras. Pingo apareceu em uma das casas da aldeia Morro dos Cavalos muito machucado, sem conseguir andar. Desde então, passou a receber atendimento semanal da OBA e já é um dos nossos xodós. A recuperação foi tão rápida que consegue correr e pular. Hoje recebeu a primeira dose de vacina.

Bella sendo medicada sob o olhar atento das suas tutoras. Pingo apareceu em uma das casas da aldeia Morro dos Cavalos muito machucado, sem conseguir andar. Desde então, passou a receber atendimento semanal da OBA e já é um dos nossos xodós. A recuperação foi tão rápida que consegue correr e pular. Hoje recebeu a primeira dose de vacina.

E assim foi mais um dia de trabalho, onde devolvemos animais castrados, levamos outros para castrar, alimentamos e tratamos mais de uma centena de patudos e, em meio a tudo isso, ainda tivemos que lidar com um pneu furado. Confira a rotina de trabalho da nossa instituição no álbum de fotos desta segunda-feira.

Chegando à aldeia Maciambu, Amarelinha veio até o carro mostrar seu ferimento, que foi limpo e tratado. A pomada cicatrizante e repelente afastará as moscas. Imprevistos acontecem, mas nada de desanimar. Faz parte do trabalho se sujar um pouquinho. Toda semana a OBA encaminha animais das comunidades indígenas para castração. Esta é uma das nossas prioridades.

Chegando à aldeia Maciambu, Amarelinha veio até o carro mostrar seu ferimento, que foi limpo e tratado. A pomada cicatrizante e repelente afastará as moscas. Imprevistos acontecem, mas nada de desanimar. Faz parte do trabalho se sujar um pouquinho. Toda semana a OBA encaminha animais das comunidades indígenas para castração. Esta é uma das nossas prioridades.

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome

Ajude a OBA! a continuar o seu trabalho

18, novembro, 2016

espinhos

Na visita à aldeia Amaral desta semana, dois cachorrinhos estavam com espinhos de ouriço. Nossa presença foi um alívio para Lulu e Pretinho, que tiveram os espinhos removidos.

Todas as famílias receberam a ração da semana para seus animais, inclusive os porquinhos.

Estamos com uma dívida alta no veterinário e não podemos parar as prestações de socorro, principalmente agora nesta época de fim de ano, quando as emergências aumentam.

Sua doação é bem-vinda e nos permite continuar!

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome

Oficina Educativa sobre Bem-Estar Animal – Morro dos Cavalos

16, novembro, 2016

O trabalho que a OBA! realiza em comunidades indígenas não se limita a alimentar, tratar e castrar os animais. Nossa principal missão é conscientizar os indígenas sobre responsabilidades e compromissos quando assumem a guarda de um animal.

Em outubro, iniciamos o ciclo de oficinas educativas sobre bem-estar animal, começando pela aldeia indígena Morro dos Cavalos, em Palhoça.

PRIMEIRA ETAPA: Convidamos os indígenas a desenharem seus animais de estimação, para que reconhecessem, para si e para os demais indígenas, como guardiões de um ou mais animais. Esta atividade também serviu para “quebrar o gelo”, colaborando para superar a timidez de alguns e provocando muitas risadas, especialmente das crianças.

PRIMEIRA ETAPA: Convidamos os indígenas a desenharem seus animais de estimação, para que reconhecessem, para si e para os demais indígenas, como guardiões de um ou mais animais. Esta atividade também serviu para “quebrar o gelo”, colaborando para superar a timidez de alguns e provocando muitas risadas, especialmente das crianças.

Na data marcada para a primeira oficina, o dia era de chuva intensa, então nossas expectativas não eram das mais animadoras. Mas a comunidade prestigiou e compareceu. Crianças de todas as idades participaram animadas das atividades, inclusive os adultos. Algumas mulheres levaram seus bebês para que não deixassem de ir.

SEGUNDA ETAPA: Destacamos o conceito de Saúde Única: saúde ambiental, saúde humana e saúde animal. Foram discutidos aspectos relevantes para controle das doenças de maior incidência nas aldeias, seus riscos de transmissão enfatizando como cuidados básicos podem colaborar imensamente na prevenção destas.

SEGUNDA ETAPA: Destacamos o conceito de Saúde Única: saúde ambiental, saúde humana e saúde animal. Foram discutidos aspectos relevantes para controle das doenças de maior incidência nas aldeias, seus riscos de transmissão enfatizando como cuidados básicos podem colaborar imensamente na prevenção destas.

A programação contou com atividades simples que traduziram e exemplificaram o conceito de SAÚDE ÚNICA, demonstrando que uma abordagem integrada entre a saúde animal, humana e ambiental pode garantir níveis melhores de saúde para os animais e pessoas que vivem na aldeia.

 

QUARTA ETAPA: Dando continuidade à oficina, iniciou o processo de construção da Visão de Futuro com o diagnóstico dos principais problemas dos cães e gatos da Terra Indígena Morro dos Cavalos. Para isso, foi elaborada uma matriz em uma folha de papel kraft com as seguintes colunas: ‘Problemas’; ‘Quando’; ‘Quem’. Os participantes foram motivados a falar quais eram os principais problemas. Em seguida, foram solicitados a hierarquizarem os problemas, do mais urgente para o menos urgente, e, assim, as tarjetas foram arrumadas. Construção da matriz do diagnóstico e responsabilidades em relação aos cães e gatos da Terra Indígena Morro dos Cavalos. Ao final, confraternização com lanche.

QUARTA ETAPA: Dando continuidade à oficina, iniciou o processo de construção da Visão de Futuro com o diagnóstico dos principais problemas dos cães e gatos da Terra Indígena Morro dos Cavalos. Para isso, foi elaborada uma matriz em uma folha de papel kraft com as seguintes colunas: ‘Problemas’; ‘Quando’; ‘Quem’. Os participantes foram motivados a falar quais eram os principais problemas. Em seguida, foram solicitados a hierarquizarem os problemas, do mais urgente para o menos urgente, e, assim, as tarjetas foram arrumadas. Construção da matriz do diagnóstico e responsabilidades em relação aos cães e gatos da Terra Indígena Morro dos Cavalos. Ao final, confraternização com lanche.

Acompanhe através das fotos as etapas da oficina educativa.

Ação em comunidades indígenas, Eventos, Mutirão Mata-fome, Projetos

FOFINHOS PARA ADOÇÃO – FPOLIS/SC

16, novembro, 2016

Estão vermifugados e com a primeira dose da vacina. São 4 machos que serão porte médio. Convivem muito bem com outros cães e gatos também.

Contato para adoção responsável: oba.floripa@gmail.com

Fotos: Andréia Dalpasquale

fofoinhos-adocao

Ação em comunidades indígenas, Adote!, Mutirão Mata-fome

Chorona

14, novembro, 2016
Chorona é uma velha conhecida dos voluntários do Mutirão Mata-Fome. Era ela quem mandava na aldeia indígena M´Biguaçu. Os cães mais velhos, mais fortes… todos a respeitavam (tinham medo, na verdade hehe).
Nossa menina marrenta hoje vive no lar de apoio da OBA, que pra ela é definitivo. E por incrível que pareça, depois que foi adotada, Chorona se mostrou muito doce e zelosa com os filhotinhos resgatados, então sempre contamos com a sua ajuda quando temos bebês pela casa. <3

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome

INTERNAÇÃO AMELIE – 07/11/2016

14, novembro, 2016
Encontramos Amelie na visita semanal à aldeia Amaral com desidratação severa e hipoglicêmica. Além disso, ela não conseguia mais andar. O raio X mostrou que ela não tem nenhuma lesão muito grave, felizmente.

Encontramos Amelie na visita semanal à aldeia Amaral com desidratação severa e hipoglicêmica. Além disso, ela não conseguia mais andar. O raio X mostrou que ela não tem nenhuma lesão muito grave, felizmente.

Hoje faz uma semana que Amelie está sob nossos cuidados. Ela foi encontrada na visita à Aldeia Amaral na segunda-feira passada com desidratação severa, hipoglicêmica e sem movimentos dos membros pélvicos.

Os exames de sangue e imagem sempre são importantes para um tratamento adequado e eficiente. Comidinha boa e bem palatável para nossa paciente.

Os exames de sangue e imagem sempre são importantes para um tratamento adequado e eficiente. Comidinha boa e bem palatável para nossa paciente.

Estava tão debilitada que recebeu os primeiros socorros na aldeia, pois poderia não resistir à viagem. Amelie está internada e os exames de imagem mostraram que não há fraturas, felizmente.

Peludinhos resgatados de comunidades indígenas: Bob foi resgatado da aldeia Morro dos Cavalos, Foxy Raposinha do Maciambu, e a gatinha Amelie da aldeia Amaral. Amelie tem babás muito dedicados.

Peludinhos resgatados de comunidades indígenas: Bob foi resgatado da aldeia Morro dos Cavalos, Foxy Raposinha do Maciambu, e a gatinha Amelie da aldeia Amaral. Amelie tem babás muito dedicados.

Com boa alimentação, tratamento e repouso, esta filhotinha falante e fofa logo voltará a andar e brincar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome