Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Internação’

ATENDIMENTO EMERGENCIAL KIARA

27, junho, 2017

As prestações de socorro não param de acontecer, e nossa preocupação só aumenta.

Hoje de manhã recebemos outro pedido de socorro por picada de cobra. Kiara, da aldeia em Canelinha, estava muito debilitada, com uma pata e o peito bastante inchados. Ela recebeu o soro antiofídico na aldeia, mas foi necessária a internação.

KIARA 27

Ontem tivemos outra ocorrência por picada de cobra na aldeia em Tijucas, e durante o trajeto, tivemos um incidente com um rebanho, que deixou nosso carro – principal instrumento de trabalho da OBA -, com amassados e a lataria arranhada (leia mais aqui: goo.gl/XNvFmH)

As situações adversas acontecem e sabemos lidar com elas. Mas precisamos do seu apoio. Sem recursos, infelizmente, não conseguiremos continuar… (veja a postagem do facebook aqui com mais fotos)

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Como Ajudar, Internação , ,

ATENDIMENTO EMERGENCIAL EM TIJUCAS – 26/06/2017

26, junho, 2017

Ontem de manhã, quando estávamos a caminho das aldeias em Biguaçu que seriam visitadas, recebemos um telefonema de um senhor indígena da aldeia Itanhaém, que fica no município de Tijucas. Um cão havia sido mordido por cobra.

Situações como esta não podem esperar, então como já é comum, mudamos nossa programação para atender esta emergência.

Esta comunidade indígena é a mais isolada, e seu acesso se dá por uma estreita estrada de chão que vai contornando um morro.

Assim que iniciamos o caminho, avistamos um rebanho, com aproximadamente 20 bois. Esperamos, mas como o cão mordido por cobra corria risco de vida, rapidamente alcançamos os bois, que calmamente subiam a estradinha.

A situação já era tensa por si só. O caminho estava em péssimas condições, com muitas pedras e escorregadio, o rebanho impedindo a nossa passagem, e a urgência em chegar logo.

26

Acima, rebanho na estrada de acesso à aldeia Itanha e abaixo foto do Tijuca, o cão que foi mordido pela cobra.

Sem alternativas tivemos que novamente parar o carro e esperar. Alguns minutos depois escutamos latidos, e logo avistamos uma família desta comunidade descendo com seus cães.

E o que veio a seguir deixou tudo ainda pior. Os cães partiram para cima dos bois, que assustados, começaram a descer o morro desesperados, e no caso, vindo em direção ao carro!! Só deu tempo de nossa equipe pular para dentro e rezar. Como a estrada é muito estreita, os bois passavam correndo pelo carro quase fazendo-o virar. E como esta estrada contorna um morro, um dos lados é um grande declive.

Os amassados e arranhões que ficaram na lataria do carro não são nada diante do que poderia ter acontecido.

Com a passagem livre, nossa equipe pode continuar o trajeto, com o coração na boca e sem tempo de recuperar o susto. Aos trancos e barrancos, o cãozinho Tijuca pode receber assistência.

VEJA TODAS AS FOTOS DO ÁLBUM DO FACEBOOK AQUI.

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome ,

NOVAS INTERNAÇÕES

20, junho, 2017

Duas emergências na aldeia Morro dos Cavalos, em Palhoça. Não podemos nesse momento assumir outras despesas, são vários animais internados. Ao mesmo tempo, como negar socorro a essas duas cadelinhas?

Untitled collage

Laly, a filhote, está com hérnia inguinal e lesão em membro torácico. A Estopinha com lesão na boca. A moradia desses animais fica às margens da BR 101, então são comuns atropelamentos e, também, os cães serem chutados por transeuntes, porque muitas vezes eles latem e correm atrás…

As duas cadelinhas, assim que estiverem recuperadas, serão castradas.

POR FAVOR, sua doação permite que os atendimentos emergenciais não sejam suspensos por falta de recursos.

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2 l Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome

Totó precisa da nossa ajuda

8, fevereiro, 2017
Totó foi resgatado recentemente da aldeia M´Biguaçu com sequelas graves causadas pela cinomose.
As patas traseiras estão tão fracas que ele se arrasta algumas vezes. Os movimentos involuntários o deixam cansado e bastante incomodado, então iniciamos um tratamento com o Dr. Lucas Bianchini com acupuntura e aplicação de ozônio para aliviar as sequelas.
 
Estamos com muitos animais internados, então toda ajuda, por menor que seja, nos permite continuar.
 
Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome , ,

31/01/2017: Internação Vermelha

31, janeiro, 2017
Fim de tarde, recebemos pedido de socorro da aldeia Praia de Fora 2, em Palhoça. Vermelha, que vive em corrente, havia sido picada por cobra. Dia de chuva, o trânsito estava um caos, mas o socorro chegou a tempo, felizmente. Pelo padrão hemorrágico, indica que foi jararaca. Recebeu o soro antiofídico na clínica veterinária onde Vermelha ficará até se recuperar.

Fim de tarde, recebemos pedido de socorro da aldeia Praia de Fora 2, em Palhoça.
Vermelha, que vive em corrente, havia sido picada por cobra. Dia de chuva, o trânsito estava um caos, mas o socorro chegou a tempo, felizmente. Pelo padrão hemorrágico, indica que foi jararaca. Recebeu o soro antiofídico na clínica veterinária onde Vermelha ficará até se recuperar.

Mais um caso de picada de cobra, desta vez na aldeia Praia de Fora 2, em Palhoça. Há duas semanas Tigresa, da aldeia Amaral, em Biguaçu, também foi picada no focinho. Felizmente, as duas receberam atendimento veterinário a tempo. O trânsito estava um caos, ainda pior com chuva, mas tudo deu certo!

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome , ,

APADRINHE A AMELIE

17, janeiro, 2017
Na semana anterior à internação, Amelie estava bem e até ganhou comidinha na boca. Mas quando retornamos à aldeia Amaral encontramos Amelie neste estado. Ninguém sabia o que tinha acontecido. Providenciamos raio X para confirmar o local da lesão. Amelie não conseguia se manter em pé.

Na semana anterior à internação, Amelie estava bem e até ganhou comidinha na boca. Mas quando retornamos à aldeia Amaral encontramos Amelie neste estado. Ninguém sabia o que tinha acontecido. Providenciamos raio X para confirmar o local da lesão. Amelie não conseguia se manter em pé.

Esta gatinha doce e lindinha foi resgatada no dia 07 de novembro de 2016, em uma de nossas visitas semanais à aldeia indígena Amaral, localizada no interior do município de Biguaçu.

A filhotinha não conseguia se manter em pé e a tutora não soube nos informar o que aconteceu. Além da paralisia, estava desidratada e extremamente abatida.

Iniciamos o tratamento ainda em campo com aplicação de vitaminas e soro. Mas não tínhamos outra alternativa que não fosse resgatá-la. Ela morreria pela falta de cuidados.

Foxy e Bobi, também resgatados de comunidades indígenas em situação igual à Amelie, são verdadeiros enfermeiros. Todos estão procurando um novo lar, com mais responsabilidade e amor.

Foxy e Bobi, também resgatados de comunidades indígenas em situação igual à Amelie, são verdadeiros enfermeiros.
Todos estão procurando um novo lar, com mais responsabilidade e amor.

Seu retorno à aldeia está descartado. Amelie ainda apresenta sequelas motoras, mesmo com o tratamento intensivo nos últimos 2 meses.

Mas ela vai melhorar!

FINANCIE NOSSAS AÇÕES!

Amelie e outros patudos das comunidades indígenas visitadas dependem da nossa atitude e solidariedade para sobreviver.
Sua doação financia este trabalho.

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Amelie está em tratamento há dois meses para voltar a andar. Você pode apadrinhá-la?

Amelie está em tratamento há dois meses para voltar a andar. Você pode apadrinhá-la?

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome ,

02/01/2017: INTERNAÇÕES VINAGRE E AMIGO

4, janeiro, 2017

O ano começou com muito trabalho, e infelizmente, com novas internações. Segunda-feira bem cedo partimos para a aldeia Amaral. Recebemos um telefonema pedindo socorro para dois animais que estavam com espinhos de ouriço.

Amigo (cor de caramelo) veio bem coladinho durante toda a viagem. O tutor da Vinagre e Amigo já havia retirado os espinhos que estavam encravados no focinho. Amigo mal conseguia beber água, pois ainda tinha vários espinhos na boca. Os espinhos mais encravados foram retirados apenas quando os animais estavam anestesiados.

Amigo (cor de caramelo) veio bem coladinho durante toda a viagem. O tutor da Vinagre e Amigo já havia retirado os espinhos que estavam encravados no focinho.Amigo mal conseguia beber água, pois ainda tinha vários espinhos na boca. Os espinhos mais encravados foram retirados apenas quando os animais estavam anestesiados.

Amigo e Vinagre estavam nestas condições há dois dias. Seu tutor já tinha retirado boa parte dos espinhos, mas os que ficaram encravados na parte interna da boca são retirados apenas com o animal anestesiado. Esta condição de dor e desconforto impediu que eles se alimentassem adequadamente e até mesmo bebessem água. Vinagre e Amigo foram anestesiados para o procedimento, e como perderam muito peso, ficarão na clínica veterinária por alguns dias para se restabelecerem.

Por não conseguirem se alimentar adequadamente e até mesmo beber água, ambos estavam com as costelas aparentes. Amigo e Vinagre foram anestesiados para o procedimento. Vinagre e Amigo ficarão na clínica veterinária por alguns dias para recuperar o peso.

Por não conseguirem se alimentar adequadamente e até mesmo beber água, ambos estavam com as costelas aparentes. Amigo e Vinagre foram anestesiados para o procedimento. Vinagre e Amigo ficarão na clínica veterinária por alguns dias para recuperar o peso.

Se puder doar 5, 10 reais para ajudar com as despesas ficaremos muito agradecidos, pois ainda estamos com uma dívida alta na clínica veterinária parceira. Banco do Brasil (banco 001) Agência: 1453-2 Conta Corrente: 36.798-2 Titular: Organização Bem-Animal CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome

PONG E TUPÃ

28, dezembro, 2016
Pong foi atropelado e teve uma luxação no quadril. Tupã estava com sintomas de intoxicação.

Pong foi atropelado e teve uma luxação no quadril. Tupã estava com sintomas de intoxicação.

Pong e Tupã são amiguinhos e moram na aldeia M´Biguaçu.

Ambos foram internados nesse mês para tratamento. Pong foi atropelado, já Tupã estava com sintomas de intoxicação. Felizmente já voltaram para casa recuperados.

Precisamos acertar as despesas na clínica veterinária para começar um novo ano sem dívidas. Toda ajuda é bem-vinda e nos permite continuar.

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Internação , , ,

INTERNAÇÃO AMELIE – 07/11/2016

14, novembro, 2016
Encontramos Amelie na visita semanal à aldeia Amaral com desidratação severa e hipoglicêmica. Além disso, ela não conseguia mais andar. O raio X mostrou que ela não tem nenhuma lesão muito grave, felizmente.

Encontramos Amelie na visita semanal à aldeia Amaral com desidratação severa e hipoglicêmica. Além disso, ela não conseguia mais andar. O raio X mostrou que ela não tem nenhuma lesão muito grave, felizmente.

Hoje faz uma semana que Amelie está sob nossos cuidados. Ela foi encontrada na visita à Aldeia Amaral na segunda-feira passada com desidratação severa, hipoglicêmica e sem movimentos dos membros pélvicos.

Os exames de sangue e imagem sempre são importantes para um tratamento adequado e eficiente. Comidinha boa e bem palatável para nossa paciente.

Os exames de sangue e imagem sempre são importantes para um tratamento adequado e eficiente. Comidinha boa e bem palatável para nossa paciente.

Estava tão debilitada que recebeu os primeiros socorros na aldeia, pois poderia não resistir à viagem. Amelie está internada e os exames de imagem mostraram que não há fraturas, felizmente.

Peludinhos resgatados de comunidades indígenas: Bob foi resgatado da aldeia Morro dos Cavalos, Foxy Raposinha do Maciambu, e a gatinha Amelie da aldeia Amaral. Amelie tem babás muito dedicados.

Peludinhos resgatados de comunidades indígenas: Bob foi resgatado da aldeia Morro dos Cavalos, Foxy Raposinha do Maciambu, e a gatinha Amelie da aldeia Amaral. Amelie tem babás muito dedicados.

Com boa alimentação, tratamento e repouso, esta filhotinha falante e fofa logo voltará a andar e brincar.

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome

INTERNAÇÃO NINA

23, setembro, 2016

nina

Nem eram 8 da manhã e nosso telefone já estava tocando. Emergência na aldeia indígena de Biguaçu. Nina está sem querer comer há 3 dias e hoje acordou muito mal, então foi internada para exames.

Nesta semana fizemos um apelo para pagar a dívida na clínica veterinária parceira, que já ultrapassa 20 mil reais. Foram poucas doações, e somos muito gratos a quem colaborou.

Se a dívida continuar aumentando, com tristeza deixaremos nosso celular de plantão desligado, que é acionado cada vez que acontece uma emergência nas comunidades indígenas amparadas, como aconteceu agora de manhã. Não podemos permitir que se transforme numa bola de neve, pois já estamos com muitos internados.

Sua doação, por menor que seja, nos permite continuar!

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome