Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Mutirão Mata-fome’

13/02/2017: INTERNAÇÕES

13, fevereiro, 2017
Os animais das comunidades indígenas amparadas sabem que podem contar com a OBA. Shrek recebe nossa assistência desde que era filhotinho.

Os animais das comunidades indígenas amparadas sabem que podem contar com a OBA. Shrek recebe nossa assistência desde que era filhotinho.

Foi uma segunda-feira de muito trabalho, com vários atendimentos em campo. Para o cão Dogui da aldeia Itanhaém, nossa visita foi a sua salvação – veja foto.

A primera internação do Shrek foi em outubro de 2013, quando sua família morava na aldeia M´Biguaçu – veja aqui (são as últimas fotos do álbum): goo.gl/8U6MPh A segunda internação, em março de 2015, ele ainda morava na aldeia M´Biguaçu e, vejam só, foi atacado por um ouriço - fotos aqui: goo.gl/vAK45v A terceira não faz tanto tempo, há 5 meses, na aldeia Amaral, quando se meteu numa briga com um javali – fotos: goo.gl/QgFwxu

A primera internação do Shrek foi em outubro de 2013, quando sua família morava na aldeia M´Biguaçu – veja aqui (são as últimas fotos do álbum): goo.gl/8U6MPh
A segunda internação, em março de 2015, ele ainda morava na aldeia M´Biguaçu e, vejam só, foi atacado por um ouriço – fotos aqui: goo.gl/vAK45v
A terceira não faz tanto tempo, há 5 meses, na aldeia Amaral, quando se meteu numa briga com um javali – fotos: goo.gl/QgFwxu

Foram três aldeias visitadas: Itanhaém, Amaral e M´Biguaçu. Quatro internações:

Bombom, da aldeia M´Biguaçu, ficará sob nossos cuidados por 21 dias, período de tratamento de erliquiose (doença transmitida pelo carrapato).

Bombom, da aldeia M´Biguaçu, ficará sob nossos cuidados por 21 dias, período de tratamento de erliquiose (doença transmitida pelo carrapato).

– Shrek, da aldeia Amaral, estava com espinhos de ouriço… DE NOVO!!
– Bombom, da aldeia M´Biguaçu, está com erliquiose e também foi internada para tratamento, que exige medicação diária por 21 dias.
– Tachi – gatinha idosa da aldeia M´Biguaçu – está com uma pata machucada, então ficará internada até se recuperar.
– Pretinha – gatinha jovem da aldeia M´Biguaçu será castrada. DOE! Não podemos ignorar os socorros emergenciais, mas estas internações têm um custo.

Dogui, da aldeia Itanháem, estava com uma enorme bicheira e recebeu tratamento no local.

Dogui, da aldeia Itanháem, estava com uma enorme bicheira e recebeu tratamento no local.

Você pode ajudar com alguma quantia?
Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome

VOCÊ PODE AJUDAR?

13, fevereiro, 2017

Mais uma vez, precisamos da ajuda de vocês para o pagamento do boleto da compra da ração para os mais de 400 animais amparados pelo Mutirão Mata-Fome.
Você pode doar alguma quantia?

Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ: 09.454.046/0001-55

AJUDA

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome ,

UMA HISTÓRIA AMOR: SANGE

10, fevereiro, 2017

SANGE

Sabe o amor? Então, ele transforma! Sange foi resgatada com menos de 60 dias de vida após ser atacada por cães na aldeia M´Biguaçu, e ter seu abdômen perfurado expondo seus órgãos internos. Suas chances de sobrevivência eram pequenas, mas ela queria muito viver.

A delicada cirurgia em um serzinho com apenas 420 gramas foi um sucesso (Gratidão, Dr. Argemiro!), ela ficou internada para se recuperar, e assim que recebeu alta, ganhou a melhor família que um anjo peludo poderia ter.

Mutirão Mata-fome

MUTIRÃO MATA-FOME – ANO 2016

9, fevereiro, 2017
Em 2016 assumimos o desafio de amparar mais comunidades indígenas, por se tratar de locais muito necessitados.

Em 2016 assumimos o desafio de amparar mais comunidades indígenas, por se tratar de locais muito necessitados.

Vivemos num mundo inquietante, onde toda beleza e dor que nos cerca nos afeta profundamente. A beleza nos acalma, a dor nos inquieta, sendo transformada num desejo de ajudar, mas muitas vezes não sabemos o caminho. Existem aqueles já engajados numa causa, e nós temos a nossa e a abraçamos com toda garra: lutar pelos animais de nossa cidade e das aldeias indígenas da região. Ao cuidarmos dos animais tratando as zoonoses, castrando-os e alimentando-os, estamos influenciando diretamente na saúde da população que com eles convivem, tornando um trabalho duplamente gratificante. Tudo isto só é possível graças àqueles que acreditam e nos apoiam, e a cada um que doa qualquer quantia, um saco de ração, medicamentos, casinhas etc. Não falamos ainda daqueles que doam um pouco do seu tempo precioso do final de semana para acarinhar os animais resgatados, levando-os para passear ou ajudando a buscar uma família amorosa.

Nas terras indígenas onde, até então, não existia nenhuma iniciativa a favor do bem-estar animal, nossa missão inicial foi restabelecer a saúde de centenas de animais, que se encontravam muito magros, com problemas de pele e parasitas

Nas terras indígenas onde, até então, não existia nenhuma iniciativa a favor do bem-estar animal, nossa missão inicial foi restabelecer a saúde de centenas de animais, que se encontravam muito magros, com problemas de pele e parasitas.

Veja o resultado da nossa paixão transformada em números, através de um de nossos projetos, o Mutirão Mata-Fome.

Muitos dos animais amparados já são castrados, pois esse é um trabalho que a OBA! vem desenvolvendo desde 2008. Cada castração é uma conquista, principalmente quando se inicia o trabalho em uma nova terra indígena, pois a castração ainda é um tabu e cercada de muitas crenças.

Muitos dos animais amparados já são castrados, pois esse é um trabalho que a OBA! vem desenvolvendo desde 2008.
Cada castração é uma conquista, principalmente quando se inicia o trabalho em uma nova terra indígena, pois a castração ainda é um tabu e cercada de muitas crenças.

MUTIRÃO MATA-FOME – RESULTADOS EM 2016:
• 10 comunidades indígenas visitadas: M´Biguaçu, Amaral, Amâncio, Canelinha, Itanhaém, Maciambu, Morro dos Cavalos, Cambirela, Praia de Fora 1 e Praia de Fora 2
• 400 animais, entre cães e gatos, amparados com alimentação e atendimento veterinário em visitas semanais ou quinzenais
• 132 castrações – 102 cães e 30 gatos
• 144 internações – 116 cães e 28 gatos
• 34 resgates – 29 cães e 5 gatos (destes 34 animais resgatados, 26 já foram abençoados com uma nova e linda família)

Sapeca não sobreviveria se não tivesse sido internada. Veja aqui: goo.gl/tqIgfx Assim como ela, muitos patudos estão vivos e bem graças ao rápido atendimento.

Sapeca não sobreviveria se não tivesse sido internada. Veja aqui: goo.gl/tqIgfx
Assim como ela, muitos patudos estão vivos e bem graças ao rápido atendimento.

Se você também é um apaixonado pelos patudos e apoia a nossa causa, estamos de braços abertos esperando por você!

Veja o resgate da Bambina aqui: goo.gl/rZtS4H A Bambina é o xodó da sua nova família, que não se importa por ela enxergar muito pouquinho (ela é completamente cega de um olho e o outro sofreu danos com uma conjuntivite). A nossa maior felicidade é receber depoimentos, fotos e vídeos desses anjinhos em seus novos lares.

Veja o resgate da Bambina aqui: goo.gl/rZtS4H
A Bambina é o xodó da sua nova família, que não se importa por ela enxergar muito pouquinho (ela é completamente cega de um olho e o outro sofreu danos com uma conjuntivite).
A nossa maior felicidade é receber depoimentos, fotos e vídeos desses anjinhos em seus novos lares.

SEJA VOLUNTÁRIO, APOIE, DIVULGUE.

Tigre foi resgatado da aldeia Praia de Fora/ Palhoça, uma das comunidades indígenas amparadas pela OBA! A mamãe dele, a Preta, morreu quando tinha poucos dias de vida. Mas ele foi criado por uma super mãe, a Kika, que alimentou duas ninhadas ao mesmo tempo. Agora o Tigre tem uma nova mamãe. Olha o jeito fofo com que ela dá uma bronquinha nele

Tigre foi resgatado da aldeia Praia de Fora/ Palhoça, uma das comunidades indígenas amparadas pela OBA!
A mamãe dele, a Preta, morreu quando tinha poucos dias de vida. Mas ele foi criado por uma super mãe, a Kika, que alimentou duas ninhadas ao mesmo tempo. Agora o Tigre tem uma nova mamãe. Olha o jeito fofo com que ela dá uma bronquinha nele

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome , ,

Totó precisa da nossa ajuda

8, fevereiro, 2017
Totó foi resgatado recentemente da aldeia M´Biguaçu com sequelas graves causadas pela cinomose.
As patas traseiras estão tão fracas que ele se arrasta algumas vezes. Os movimentos involuntários o deixam cansado e bastante incomodado, então iniciamos um tratamento com o Dr. Lucas Bianchini com acupuntura e aplicação de ozônio para aliviar as sequelas.
 
Estamos com muitos animais internados, então toda ajuda, por menor que seja, nos permite continuar.
 
Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal

Ação em comunidades indígenas, Internação, Mutirão Mata-fome , ,

Vocês viram que vídeo lindo o Mutirão Mata-Fome ganhou de presente?

7, fevereiro, 2017
As crianças da Aldeia Amaral ficaram fascinadas e traziam seus animais para serem filmados.

As crianças da Aldeia Amaral ficaram fascinadas e traziam seus animais para serem filmados.

Tínhamos um desejo há meses em ter um material que retratasse nossas ações em terras indígenas, e como recentemente abraçamos novas comunidades, totalizando 10 aldeias da Grande Florianópolis, este desejo se transformou em necessidade.

O número de animais carentes amparados pela OBA! aumentou significativamente, totalizando 400, entre cães e gatos. O projeto exige novas parcerias e apoiadores, então foi neste momento de dificuldades e muito trabalho que escrevemos para o Todd Southgate. Além do trabalho reconhecido e prestigiado – com mais de 30 documentários ambientalistas, Todd e sua esposa Alice adotaram dois anjos resgatados pela OBA! em aldeias indígenas.

Quer saber como ficou o vídeo pronto? Assista aqui: goo.gl/giML0k

Quer saber como ficou o vídeo pronto? Assista aqui: goo.gl/giML0k

Em maio de 2012, durante um Mutirão Mata-Fome na aldeia Morro dos Cavalos, Salila veio ao nosso encontro com um pedido de socorro, e a cena da Alice com ela é de arrepiar a alma – assista e emocione-se: goo.gl/r7iV8J

Salila teve uma vida plena e feliz, mas ela tinha uma rara doença e, mesmo com muito investimento e esforços para a sua recuperação, não sobreviveu. Mas no coração da Alice e do Todd, ela ainda vive.

Salila foi abençoada com uma família que a amava incondicionalmente. Assista ao vídeo de quando foi resgatada e emocione-se: goo.gl/r7iV8J

Salila foi abençoada com uma família que a amava incondicionalmente. Assista ao vídeo de quando foi resgatada e emocione-se: goo.gl/r7iV8J

Em novembro de 2015 resgatamos a doce Pintadinha da aldeia Amaral. Hoje ela se chama Caramel, e a cadelinha que antes não tinha comida suficiente, ganhou na loteria dos cachorros.

Doce Caramel, aquece nosso coração ver o quanto você é feliz!

Doce Caramel, aquece nosso coração ver o quanto você é feliz!

Obrigado, Todd, por nos presentar com este material que pode inspirar e motivar novos apoiadores e voluntários. Assim, aumentam as chances dos nossos protegidos em terem uma vida melhor.

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome, Vídeos, Vídeos Educativos

O céu ganhou mais uma estrelinha: Petiça

6, fevereiro, 2017

petiça

Petiça foi internada ontem após ser picada por cobra, mas não sobreviveu…

Estas perdas são sempre muito doídas… cada um deles é especial, e com cada um deles criamos vínculos de profunda amizade.

Enquanto estivemos amparando este anjinho na aldeia indígena Amaral, ela recebeu alimento, foi medicada sempre que precisou, foi castrada e vacinada. E são esses momentos em que Petiça recebeu amor e cuidados é que amenizam um pouco a dor do luto.

Amaremos você para sempre.

Ação em comunidades indígenas, Luto, Mutirão Mata-fome ,

Tá quente, né Picasso?

5, fevereiro, 2017

Para amenizar as imagens fortes das prestações de socorro, vejam como está o Picasso, também da aldeia Amaral e picado por cobra nesta semana.

Nosso vovozinho veio para o nosso lar de apoio e o calor era tanto que ele achou um jeitinho de se refrescar.

picasso

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome

05/02/2017: INTERNAÇÕES

5, fevereiro, 2017

Foi um dia inteiro dedicado aos patudos. Saímos cedo para a missão de todos os domingos: alimentar, tratar e levar muito chamego aos patudos da aldeia M´Biguaçu. O calor estava insuportável, mas ver a felicidade estampada em cada focinho amparado nos motiva e dá forças para encarar o trabalho pesado.

Mas assim que retornamos do Mutirão Mata-Fome, uma ligação nos fez dar meia volta. Emergência na aldeia Amaral por picada de cobra. Ao chegar à aldeia fomos surpreendidos por outros dois casos urgentes: White e Pretinho estavam com espinhos de ouriço.

E assim terminou nosso domingo… no veterinário.

Toda ajuda é bem-vinda e nos ajudará a pagar estas e outras internações.

Petiça recebendo o soro antiofídico, enquanto Pretinho aguardava sua vez de ser atendido.

Petiça recebendo o soro antiofídico, enquanto Pretinho aguardava sua vez de ser atendido. White sendo anestesiada para o procedimento de retirada dos espinhos. O animal precisa ser anestesiado, pois a retirada dos espinhos provoca muita dor. Infelizmente, casos de picada de cobra e ataques a ouriços são comuns nas comunidades indígenas amparadas. As aldeias estão inseridas em áreas de mata, e muitos cães têm o hábito de caçar, muitas vezes incentivados por seus tutores, que se orgulham de ter cães caçadores.

Organização Bem-Animal – OBA!
CNPJ 09.454.046/0001-55
Banco do Brasil
Agência 1453-2
Conta poupança 36.798-2

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome , , , , ,

05/02/2017: Atendimentos emergenciais na aldeia Amaral

5, fevereiro, 2017
Recebemos um pedido de socorro da aldeia Amaral assim que retornamos do Mutirão Mata-Fome na aldeia M´Biguaçu. Petiça, da aldeia Amaral, havia sido picada por cobra.

Recebemos um pedido de socorro da aldeia Amaral assim que retornamos do Mutirão Mata-Fome na aldeia M´Biguaçu. Petiça, da aldeia Amaral, havia sido picada por cobra. A família da Petiça só se comunica em guarani, então eles pediram para o cacique desta aldeia nos ligar. Todos estavam ansiosos pela nossa chegada, pois esta cadelinha é tratada com muito carinho pelos seus tutores. Vejam como encontramos a White!!! Estávamos no lugar certo para ela… e para esse cãozinho também. Os três serão internados.

18h: Estamos neste momento na aldeia Amaral tratando alguns animais, mas 3 serão internados. Infelizmente, este trabalho não se mantem apenas com o nosso amor.

Precisamos pagar as contas na clínica veterinária.

Você pode ajudar com alguma quantia?
Por menor que seja nos permite continuar.
Banco do Brasil (banco 001)
Agência: 1453-2
Conta Corrente: 36.798-2
Titular: Organização Bem-Animal
CNPJ 09.454.046/0001-55

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ação em comunidades indígenas, Mutirão Mata-fome , , ,